A TRADUÇÃO E A CIRCULAÇÃO DO FEMINISMO EM PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA

Authors:LUCIANA CARVALHO FONSECA 1, JOHN MILTON 1, ISABEL LOUSADA 3
Institution1 USP - Universidade de São Paulo (São Paulo, Brasil), 2 UNC - Universidad Nacional de Córdoboa (Córdoba, Argentina), 3 UNL - Universidade Nova Lisboa (Lisboa, Portugal)

Abstract

Este simpósio convida trabalhos que revelam ou refletem sobre as condições sociais, materiais, políticas, históricas, culturais e institucionais que influencia(ra)m a circulação das ideias e do conhecimento feminista nos países de língua portuguesa por meio da tradução escrita e oral.

Propõe-se um espaço para reflexão sobre a tradução e sua relação com as formas de resistência das mulheres na luta por direitos em todas as ondas do feminismo, seja a partir de movimentos sociais e coletivos, como a partir de iniciativas públicas e privadas.

Para refletir sobre o tema, são adotadas as categorias da retórica que convidam a uma visão abrangente por meio das perguntas: “Quis, Quid, Ubi, Quibus auxiliis, Cur, Quo modo, Quando, Cui bono”?. Entre as questões abrangidas:

  1. Quem (não) era/é o/a tradutor/a? Sua biografia, gênero, raça, ideologias, habitus? Mulheres traduziram/traduzem mulheres? Quem escolhe o/a tradutor/a? Como o/a tradutor/a é escolhido/a? Qual sua formação? Além de tradutor/a exercia outras atividades?
  2. O que foi traduzido? E o que não foi? Quais os gêneros traduzidos? Quais os gêneros não traduzidos?
  3. Onde a tradução teve lugar, foi publicada, distribuída? Quais eram as instiuições envolvidas? Qual o ethos da publicação?
  4. Quem auxiliou a tradução? Quem não auxiliou, financiou? Aspectos financeiros, de segurança, censura?
  5. Por que a tradução foi realizada? Por que não foi realizada? Por que são como são?
  6. Como a tradução foi feita? Como foi escolhida? Em que contexto, sob quais normas ou políticas editoriais? Quais as normas seguidas ou não pelo/a tradutora? Como homens e mulheres abordam a tradução de forma diferente?
  7. Quando foi realizada a tradução? Em que época? Houve intervalo significativo entre a publicação do original e da tradução?
  8. Para quem foi feita a tradução? Quais seus efeitos, impactos, função social, ideológica?

Os trabalhos abordarão os/as tradutore/as e traduções feministas para língua portuguesa ou do português para outras línguas tanto no passado, como no presente.

Keywords: mulheres, tradução, feminismo, língua portuguesa, resistência


Minicurrículo:

LUCIANA CARVALHO FONSECA

Luciana Carvalho Fonseca é professora doutora do Departamento de Letras Modernas e do programa de pós-graduação em Estudos da Tradução da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. 



JOHN MILTON

John Milton é professor livre docente do Departamento de Letras Modernas e dos programas de pós-graduação em Estudos da Tradução e em Estudos Linguísticos e Literários em Inglês da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo.



ISABEL LOUSADA

é Investigadora Auxiliar da Nova FCSH, adstrita ao CICS.NOVA e pertence ao CLEPUL Grupo de Investigação Brasil-Portugal:Cultura-Literatura-Memória. Tem centrado os seus trabalhos nos Estudos sobre as Mulheres.É Secretária da Direcção da Associação Portuguesa de Mulheres Cientistas e Vice-Presidente da Associação Museu Internacional da Mulher. Integra o grupo de trabalho WWIH - Women Writers in History/DARIAH-EU.