FORMAÇÃO DOCENTE E AS ITINERÂNCIAS DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUA PORTUGUESA EM CONTEXTO AMAZÔNICO BRASILEIRO

Authors:LEANDRA INES SEGANFREDO SANTOS 1, ALBINA PEREIRA DE PINHO SILVA 1, MARÍLIA LIMA PIMENTEL COTINGUIBA 2
Institution1 UNEMAT - Universidade do Estado de Mato Grosso (Mato Grosso/Brasil), 2 UNIR - Universidade Federal de Rondônia (Rondônia/Brasil)

Abstract

Na atualidade, a formação docente e o processo ensino e aprendizagem de Língua Portuguesa (doravante LP) caracterizam-se complexos desafios, dadas as constantes demandas oriundas do processo de globalização, que, por sua vez, tem fortemente mobilizado as instituições formadoras a rever suas funções sociais diante do desafio de melhorar a aprendizagem dos estudantes no que se refere, especialmente, ao desenvolvimento das capacidades de uso da língua/linguagem na modalidade oral e escrita, sob a perspectiva de uma educação linguística preocupada com a valorização da pluralidade cultural e com a diversidade de linguagens (ROJO, 2012). Sob essa perspectiva, este simpósio almeja congregar pesquisas sobre os desafios e perspectivas inerentes à formação docente, bem como diferentes ações viabilizadas no processo ensino e aprendizagem de LP em contexto amazônico brasileiro. Importa-nos identificar e discutir alternativas teórico-conceitual-metodológicas contextualizadas com as demandas da sociedade e que contribuam para a formulação de políticas públicas educacionais em uma perspectiva glocal. A ênfase privilegiará, ainda, o ensino de LP concebido como língua de acolhimento para imigrantes. Posto isso, serão aceitos trabalhos que privilegiem situações de aprendizagem e uso da língua em diferentes contextos sociais, uma vez que essa temática integra a pauta das pesquisas recentes em Linguística Aplicada (MOITA LOPES, 2006; CELANI, 2016). Para tanto, abarcará estudos filiados a distintas correntes teóricas da Linguística Aplicada, sobretudo, aqueles mais recentes que afirmam que “na modernidade recente, a linguagem, os textos, as línguas e as pessoas movem-se, cada vez mais em sociedades hipersemiotizadas, o que tem levado a pensar as línguas, a linguagem e o que somos no social em outras bases [...] o campo aplicado e estudos da linguagem enfrenta cada vez mais desafios para ser responsivo a tais mudanças” (MOITA LOPES, 2013, p. 18-19).  

Keywords: formação docente, processo ensino e aprendizagem, língua portuguesa na Amazônia, língua de acolhimento


Minicurrículo:

LEANDRA INES SEGANFREDO SANTOS

Graduada em Pedagogia (UNEMAT), mestre em Estudos de Linguagem (UFMT), doutora em Estudos Linguísticos (UNESP) e Pós doutora em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem (PUCSP). Professora na UNEMAT com experiência nos cursos de Pedagogia e Letras, atuando com formação de professores de línguas, interdisciplinaridade, ensino-aprendizagem de línguas. Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Linguística Aplicada e Sociolinguística. Professora permanente dos Programas PPGLetras e Profletras. 



ALBINA PEREIRA DE PINHO SILVA
Licenciada em Pedagogia (UNIMAR), mestre e doutora em Educação pela UFRGS/RS. Professora na UNEMAT - câmpus Juara -, com experiência no curso de Pedagogia, atuando com formação inicial e continuada de professores, ensino-aprendizagem e estudos sobre educação e linguagem viabilizados com uso de tecnologias digitais de informação e comunicação. Docente permanente dos Programas PPGLetras e Profletras, câmpus Sinop.

MARÍLIA LIMA PIMENTEL COTINGUIBA

Graduada em Letras (UNIR), mestre em Letras (UNESP), doutora em Linguística e LP (UNESP), pós-doutorado em Demografia e Sociologia (NEPO/UNICAMP). Professora na Universidade Federal de Rondônia. Líder do grupo Migração, Memória e Cultura na Amazônia Brasileira. Pesquisas: imigração, políticas públicas e direitos humanos para imigrantes, ensino de LP para imigrantes, mulheres haitianas e fluxo migratório para o Brasil. Docente permanente dos Mestrado Acadêmico em Letras e em Estudos Literários.