O ENSINO DOS GÊNEROS TEXTUAIS NAS ESCOLAS

Authors:MARLÚCIA MARIA ALVES 1, SIMONE AZEVEDO FLORIPI 1
Institution1 UFU - Universidade Federal de Uberlândia (MG/ Brasil)

Abstract

As pesquisas que estão sendo desenvolvidas no âmbito do Programa de Pós-Graduação Mestrado Profissional em Letras (PROFLETRAS) têm se mostrado bastante frutíferas no dia-a-dia em sala de aula. Com base nessa experiência, buscamos fomentar pesquisas que possam trazer subsídios teóricos para dar segurança aos professores na sua prática visando produções de gêneros textuais, sobretudo os gêneros orais para que estes tenham seu devido reconhecimento e valorização (cf. ANTUNES, 2009 e MENDONÇA, 2006). Desde os PCNs (1998) já se aponta a necessidade de trabalharmos os gêneros textuais como objeto central em sala de aula no intuito de capacitar o aluno a pensar sobre a língua, seus mecanismos de funcionamento e suas variedades, mas é necessário fazer com que os alunos e professores reflitam sobre tais mecanismos linguísticos a fim de serem capazes de utilizá-los com êxito tanto na modalidade escrita, quanto na modalidade oral da língua. Para tanto, embasamo-nos na proposta de Schneuwly e Dolz (2004) sobre gêneros orais e escritos e nas concepções de Marcuschi (2005, 2008) e Bazerman (2005), dentre outros referenciais teóricos. Com o objetivo de realizarmos uma reflexão acerca da consciência docente a respeito das práticas de ensino dos gêneros textuais em Língua Portuguesa, aguardamos pesquisas que contemplem essa área e possam trazer novas discussões e propostas de trabalho para concretização de atividades que têm se mostrado relevantes e proveitosas. Portanto, serão bem-vindos trabalhos voltados para o ensino de gêneros textuais que também abordem questões sociolinguísticas, técnicas e implementação de materiais didáticos para gêneros textuais orais e escritos, multiletramento e interferência da fala na escrita.

Keywords: Formação de professor, Gêneros Textuais, Modalidade oral e escrita da língua


Minicurrículo:

MARLÚCIA MARIA ALVES

Marlúcia Maria Alves, mestre e doutora em Estudos Linguísticos pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). É professora e pesquisadora no Instituto de Letras e Linguística (ILEEL) da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Atua no PROFLETRAS e tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Teoria e Análise Linguística e Fonologia, atuando principalmente nos seguintes temas: caracterização fonético-fonológica, variação linguística e teoria da otimalidade.



SIMONE AZEVEDO FLORIPI

Simone Floripi, mestre e doutora em Estudos Linguísticos pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). É professora e pesquisadora no Instituto de Letras e Linguística (ILEEL) da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Atua no PROFLETRAS e tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Teoria e Análise Linguística, Sintaxe e Linguística Histórica. Atua nos seguintes temas: Variação e mudança linguística, sintaxe do português e tradições discursivas