VARIAÇÃO E MUDANÇA DO PORTUGUÊS BRASILEIRO SOB UM OLHAR CONTRASTIVO

Authors:KONSTANZE JUNGBLUTH 3, WILTRUD MIHATSCH 2, CÉLIA REGINA DOS SANTOS LOPES 1
Institution1 UFRJ - Universidade Federal do Rio de Janeiro (RJ/Brasil), 2 UT - Universität Tübingen ( Tübingen/ Alemanha), 3 EU - Europa-Universität Viadrina (Frankfurt Oder/Alemanha)

Abstract

A forte tradição da Sociolinguística no Brasil desvelou, de maneira bastante expressiva, as particularidades estruturais e sociais do português brasileiro (PB) quer nas interfaces teóricas que tal corrente assumiu quer na descrição exaustiva de fenômenos morfossintáticos caracterizadores. Por um lado, tal perspectiva ganhou relevância a partir das diferentes interfaces que foram estabelecidas com a teoria da gramática e com o funcionalismo linguístico. Por outro lado, o reconhecimento de uma caracterização peculiar do PB ficou evidente a partir da análise de aspectos linguísticos observados como encaixados linguística e socialmente. Como estudos já demonstraram, a inserção de novas formas gramaticalizadas (a gente e você) no sistema pronominal, por exemplo, acarretou, direta ou indiretamente, uma série de reorganizações estruturais no PB: a simplificação do sistema flexional de 6 para 3 formas, o maior preenchimento pronominal do sujeito com o apagamento do objeto, a perda do clítico acusativo de 3a pessoa, etc.  A caracterização da sócio-história do PB  tem tido um enfoque bastante representativo na identificação das divergências e convergências entre o PB e o PE e, em menor escala, na comparação com outras línguas românicas e não-românicas. Assim, o objetivo do Simpósio é reunir investigadores que estudem fenômenos associados em outras línguas para que possamos avançar em análises comparativas comuns entre distintas línguas em uma perspectiva mais tipológica. Para esta primeira edição, pretendemos limitar a discussão a alguns temas para que as discussões possam ser mais verticalizadas. Propomos para o primeiro simpósio temas relacionados à inserção de novas formas pronominais pessoais e impessoais (p. ex. as estratégias de indeterminação do sujeito), os nomes gerais em processo de pronominalização e ainda a variação estrutural de sintagmas preposicionados do tipo N prep. N.  Obviamente outros temas podem ser incorporados desde que a proposta tenha sempre um cunho comparativo entre duas ou mais línguas.

Keywords: abordagem contrastiva, pronomes indefinidos, sintagmas preposicionados, pronomes pessoais, tipologia linguística


Minicurrículo:

KONSTANZE JUNGBLUTH

Prof. Dr. Konstanze Jungbluth é decana da Faculdade de Estudos Culturais da Europa-Universität Viadrina, (Frankfurt/Oder, Alemanha). Desde 2007, atua como Professora de Pragmática e Linguística Comparada, com pesquisas de abordagens diacrônica e sincrônica, de temáticas acerca da dêixis e das tradições discursivas. Atualmente coordena o programa PhD cotutela (ProBral II: EUV & UFF), pesquisando o tema Etnicidade em movimento (CAPES/DAAD).



WILTRUD MIHATSCH

Prof. Dr. Wiltrud Mihatsch é professora de Filologia de Línguas Românicas (com foco em linguística francesa e ibero-românica) na Faculdade de Filosofia e Letras da Universidade de Tübingen desde 2015. Em sua tese de Doutorado, tratou das bases cognitivas das hierarquias lexicais de francês e espanhol sob a direção de Peter Koch (Tübingen). Em sua habilitação analisou os marcadores de abordagem em quatro línguas românicas.



CÉLIA REGINA DOS SANTOS LOPES

Prof. Dr. Célia Lopes atua, desde 1994, como Professora de Língua Portuguesa na Universidade Federal do Rio de Janeiro (Brasil). Estuda principalmente as mudanças no sistema pronominal do português, gramaticalização e história do português brasileiro.