A EDUCAÇÃO LITERÁRIA COMO LUGAR DE (RE)EXISTÊNCIA NA SALA DE AULA DE LINGUA(GENS)

Authors:MARCEL ÁLVARO DE AMORIM , TIAGO CAVALCANTE DA SILVA 1
Institution1 IFRJ - Instituto Federal do Rio de Janeiro (Rio de Janeiro/Brasil), 2 CPII - Colégio Pedro II (Rio de Janeiro/Brasil), 3 UFRJ - Universidade Federal do Rio de Janeiro (Rio de Janeiro/Brasil)

Abstract

Moita Lopes (2006) advoga que a Linguística Aplicada INdisciplinar deve constituir espaço de renarrativização de vidas sociais historicamente situadas à margem dos centros de poder. Nesse sentido, para Schmidt (2017), a literatura deve ser vista, à luz do reconhecimento das relações de saber/poder e poder/saber, como uma categoria ‘transitiva’, como um fenômeno histórico situado no campo das formas de cultura. Dessa maneira, compreeende-se o discurso literário na sala de aula de língua(gens) como um importante espaço de quebra com a concepção da literatura sob uma ótica beletrista, alicerçada apenas na noção formalista de ‘literariedade’. Nessa medida, defende-se a educação literária como um espaço (re)existência a essa noção puramente formalista e aos dispositivos de poder que, atualmente, visam ao sucateamento do ensino básico, como o movimento Escola Sem Partido, a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e a Reforma do Ensino Médio. Nesse contexto, o objetivo do presente simpósio é, pois, servir como espaço de discussão sobre as potencialidades, na sala de aula de língua(gens), do trabalho com autores e autoras historicamente alijados/alijadas do cânone literário, tais como negros e negras, índios e índias, favelados e faveladas, gays e lésbicas, dentre outros. É intenção do simpósio agrupar apresentações que tratem da prática de (re-)leitura de textos literários – contemporâneos ou não – construídos nas franjas do cânone, configurando-se como lugares de circulação de discursos outros, discursos de (re)existência, sobre raça, etnia, classe social, gênero, sexualidade etc. Em última instância, este simpósio tem como proposta reunir experiências com ações de leitura do texto literário, na tentativa de criação de um diálogo fértil que busque a construção de integibilidade sobre o modo como, por meio da leitura, o leitor/autor constrói e (re-)constrói sentidos alternativos para a vida social, renarrando-a, a partir do e pelo literário.

Keywords: Literatura , Ensino de Lingua(gens), (Re)existência


Minicurrículo:

MARCEL ÁLVARO DE AMORIM

Doutor em Linguística Aplicada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), tendo realizado estágio de pós-doutoramento em Brazilian Studies no King’s College London (KCL). Atualmente, é professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ) e Docente Permanente do Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar de Linguística Aplicada da UFRJ.



TIAGO CAVALCANTE DA SILVA

Doutor em Linguística Aplicada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), realizando, atualmente, estágio de pós-doutoramento na mesma instituição. É professor do Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro, e coordenador do NULLAC (Núcleo de Leitura Literária e Artes Cênicas)