SOCIOLINGUÍSTICA DE CONTATO: PORTUGUÊS COMO LÍNGUA MAJORITÁRIA EM SOCIEDADES PÓS-COLONIAIS

Authors:LETÍCIA CAO PONSO 1, BEATRIZ CHRISTINO 3
Institution1 FURG - Universidade Federal do Rio Grande (RS-Brasil), 2 USP - USP (BRASIL), 3 Universidade Federal do Rio de Janeiro - Universidade Federal do Rio de Janeiro (BRASIL)

Abstract

Este simpósio abrange pesquisas na área da Sociolinguística de Contato em contextos de migração e de colonização - seja em casos de povoamento, seja em casos de exploração - em suas dimensões sócio-histórica, política, identitária, pedagógica e linguística (englobando aspectos interacionais e descritivos relativos a code-switching, code mixing, interferências, empréstimos, etc., próprios de situações de bilinguismo e plurilinguismo). De uma perspectiva cultural e política, a reunião de diversos grupos dentro de um só Estado leva à tensão social, a prejuízos e legislações injustas, que tentam proteger a maioria e fazer a minoria vulnerável. A pressão da minoria pela maioria, os grupos étnicos majoritários obliterando a existência das minorias até a total assimilação foram algumas das consequências dos novos estados coloniais portugueses. No cenário de minorização das línguas engendrado pelo encontro colonial enquanto fronteira simbólica, busca-se tecer uma discussão sobre os significados sociais de ser bi- ou plurilíngue segundo os valores e as relações culturais específicas das comunidades em foco, em constante contato/conflito com os das culturas majoritárias veiculadas em Língua Portuguesa. Assim sendo, interessam também estudos vinculados às relações de prestígio, de lealdade, de solidariedade, de mobilidade social e econômica e, por conseguinte, de poder que o contato implica; assim como às políticas linguísticas para a planificação, para o ensino bilíngue e para a revitalização e fortalecimento das línguas minorizadas.

Keywords: línguas em contato, colonização, plurilinguismo, política linguística, sociolinguística


Minicurrículo:

LETÍCIA CAO PONSO

Doutora em Teoria e Análise Linguística pela Universidade Federal Fluminense, com estágio-sanduíche na Universidade Eduardo Mondlane - Moçambique (Bolsa Capes de Doutorado-sanduíche no Exterior), com pesquisa sobre identidades, práticas e representações linguísticas acerca do português em contato com as línguas autóctones moçambicanas no contexto pós-colonial. Atualmente é Professora Adjunta da Universidade Federal do Rio Grande. .



BEATRIZ CHRISTINO

Bacharel em Linguística-Português pela Universidade de São Paulo, mestre e doutora em Linguística pela mesma universidade, atualmente é Professora Adjunta III do Departamento de Letras Vernáculas da Universidade Federal do Rio de Janeiro, onde coordena o projeto de pesquisa "Aspectos estruturais e discursivos de variedades do Português Indígena" e vem trabalhando na descrição e análise do Português L2 do povo Kaxinawá desde 2012, com base na Sociolinguística de Contato.