ESTUDOS EM ONOMÁSTICA: TOPONÍMIA, ANTROPONÍMIA E INTERFACES

Authors:APARECIDA NEGRI ISQUERDO 1, MARIA CÉLIA DIAS DE CASTRO 2, ANA PAULA TRIBESSE PATRÍCIO DARGEL 3
Institution1 UFMS/CNPq - UFMS/CNPq (BRASIL), 2 UEMA - UEMA (BRASIL), 3 UEMS - UEMS (BRASIL)

Abstract

O léxico de uma língua revela aspectos históricos, sociais, geográficos, culturais, ambientais, antropológicos de um grupo de falantes, à medida que cada comunidade tem suas próprias particularidades e processos denominativos, o que leva seus falantes a denominarem o espaço de acordo com as suas próprias necessidades e se reflete na natureza dos nomes próprios de lugares e de pessoas. O ato de nomear sempre tem sido primordial na vida humana como uma necessidade básica de sobrevivência. Desse modo, nomeiam-se pessoas, rios, córregos, municípios, ruas, travessas, praças, ou seja, tudo que ocupa um lugar no espaço tem um nome que o singulariza. Nessa perspectiva, atribuir nome a algo representa uma nova apropriação da realidade, um novo domínio de conhecimento. Assim, os nomes revelam-se como um importante índice cultural de um povo e são formas resultantes da ação da sociedade no espaço através do tempo. Este simpósio adota como universo central de estudo o nome próprio, ramo do saber Onomástica, que abrande a Antroponímia (nomes próprios de pessoas) e a Toponímia (nomes próprios de lugares), mas que engloba todos os nomes próprios situados em um determinado espaço. Para tanto, os nomes próprios são concebidos como signos linguísticos que particularizam seres, indivíduos e lugares. Este simpósio convida pesquisadores e interessados em Onomástica de diferentes países e das cinco regiões brasileiras para discutirem e compartilharem saberes relacionados à temática eleita como foco de discussão. Nesse sentido tem a expectativa de reunir estudos que abordem questões teórico-metodológicas relacionados a temas como teoria e terminologia onomástica; inter-relação entre Onomástica e Linguística; Antroponímia; Toponímia; toponímia indígena; interfaces entre Toponímia e Antroponímia com outras áreas do saber como história, geografia, cultura, cartografia, informática... Enfim, são convidados a se inscreverem autores com resultados de pesquisas já finalizadas ou em andamento que se enquadrem na temática deste simpósio.

Keywords: Onomástica, Antroponímia, Toponímia, teoria, metodologia


Minicurrículo:

APARECIDA NEGRI ISQUERDO

Doutora em Letras, área Línguística e Língua Portuguesa, pela UNESP/Araraquara (1996). Docente dos Programas de pós-graduação em Letras e em Estudos de Linguagens, da UFMS. Na pesquisa, atua mais diretamente na área dos estudos lexicais, com ênfase no léxico regional e no léxico toponímico. Coordenadora do Projeto Atlas Toponímico do Estado de Mato Grosso do Sul (ATEMS) e membro do Comitê Nacional de coordenação do Projeto Atlas Ling do Brasil



MARIA CÉLIA DIAS DE CASTRO

Graduação em Letras pela UEMA (2001). Mestrado (2008) e Doutorado (2012) em Letras e Linguística pela UFG de Goiânia. Doutorado Sanduíche (CAPES) Universidade de Lisboa, em 2010. Pós-Doutorado pela UNB (2014-2015) e Pós-Doutorado pela UFMS (2016-2017). Professora da Universidade Estadual do Maranhão – UEMA/CESBA. Realiza pesquisas linguísticas, com ênfase em Toponímia e Ecolinguística. Atua principalmente nos seguintes temas: toponímia, municípios maranhenses, região de Balsas-MA, sertanejo, língua, cultura e história



ANA PAULA TRIBESSE PATRÍCIO DARGEL

Doutora em Letras, área Línguística e Língua Portuguesa, pela UNESP/Araraquara (2011). Mestre em Letras pela UFMS/Três Lagoas (2003). Professora na Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul/UEMS, nas Unidades Universitárias de Cassilândia, Curso de Letras, e Campo Grande, Curso de Mestrado em Letras e Mestrado Profissional em Rede (Profletras). Atua, principalmente, nos temas Lexicografia Pedagógica e Toponímia. Pesquisadora do Projeto Atlas Toponímico do Estado de Mato Grosso do Sul (ATEMS).