VARIAÇÃO/DIVERSIDADE LINGUÍSTICA E O PORTUGUÊS COMO PLE/PL2 - PROBLEMÁTICAS EXTERNAS E INTERNAS À SALA DE AULA

Authors:MARIA MADALENA TELES DE VASCONCELOS LEITE DIAS FER TEIXEIRA 1, CRISTINA AMADO FRANCA E ALMEIDA CASTELO DAVID 2
Institution1 Instituto Politécnico de Santarém/ Universidade de - Instituto Politécnico de Santarém/ Universidade de Lisboa (Portugal), 2 Universidade de São Tomé e Príncipe - Universidade de São Tomé e Príncipe (São Tomé e Príncipe)

Abstract

A expressão “diversidade linguística” é, comummente, utilizada para designar um contexto de existência de diferentes línguas, em simultâneo1. Contudo, importa ainda sublinhar que, em adição a esta coexistência, há ainda uma multiplicidade de fatores externos ao sistema linguístico que o influenciam de modo indubitável (Teixeira, 2008). Com efeito, ao percorrer-se qualquer país, de Norte a Sul, onde se fale português, seja como língua materna, seja como língua estrangeira/língua segunda, facilmente se constata a heterogeneidade da língua portuguesa no discurso oral, no discurso escrito, quer em contexto formal, quer em contexto informal. Ao visualizarem-se programas televisivos, por exemplo, correntemente se verifica variação linguística (Labov, 1972); em de sala de aula, verifica-se, igualmente, que essa variação também é uma constante, tal como em outros contextos linguísticos que poderiam ser referidos. Assim sendo, questionamo-nos, como contribuirão os programas curriculares de português, nos países, em que se fala esta língua, sobretudo como L2, no que concerne ao seu ensino, perante as “realidades” anteriormente mencionadas? Como proceder em situações de variação linguística realizadas pelos alunos e pelos “próprios” professores? Que estudos científicos têm contribuído para a identificação de especificidades do português falado em países, como Angola, Macau, Moçambique, São Tomé, etc? Tendo em conta preocupações de natureza científica e didática, este simpósio tem como objetivos: i) verificar a existência de variação linguística, na língua portuguesa; ii) analisar e discutir, sobretudo, implicações das variações diatópica e diastrática, na língua portuguesa; iii) compreender os contributos da sociolinguística para o ensino da língua portuguesa; iv) analisar e discutir sugestões metodológicas para o trabalho do professor na aula de português. Espera-se, no final deste simpósio, que os participantes se sintam mais enriquecidos e que o trabalho desenvolvido tenha um impacto positivo no exercício das suas funções como investigadores, como professores, como cidadãos.

Keywords: variação/diversidade, linguística Sociolinguística, implicações em contexto escolar


Minicurrículo:

MARIA MADALENA TELES DE VASCONCELOS LEITE DIAS FER TEIXEIRA

Professora Adjunta c/Agregação da Escola Superior de Educação de Santarém e investigadora na Universidade de Lisboa, sendo membro do Conselho Científico da respetiva unidade de investigação. A sua área de interesse atual prende-se com a gramática, sobretudo quando contextualizada no âmbito do PLE/PL2.Professora Adjunta c/Agregação da Escola Superior de Educação de Santarém e investigadora na Universidade de Lisboa, sendo membro do Conselho Científico da respetiva unidade de investigação.



CRISTINA AMADO FRANCA E ALMEIDA CASTELO DAVID

Professora na Universidade de São Tomé e Príncipe onde também exerce a função de investigadora. As suas áreas de interesse estão relacionadas com o PLE/PL2 e com o seu ensino.