A LINGUAGEM NO IDOSO: DESAFIOS E PERSPECTIVAS

Authors:MARIA JOÃO MARÇALO 1, MARIA DA GRAÇA LISBOA CASTRO PINTO 2, RENATA BARBOSA VICENTE 3
Institution1 UÉvora - Universidade de Évora (Évora/Portugal), 2 UPorto - Universidade do Porto (Porto/Portugal), 3 UFRPE - Universidade Federal Rural de Pernambuco (Pernambuco / Brasil)

Abstract

Um pouco por todo o lado, começa a acentuar-se o aumento da população idosa, razão pela qual se tem vindo a observar uma oferta cada vez mais intensa de programas, de iniciativa pública e privada, que objetivam propiciar-lhe uma existência com qualidade. Sabe-se que a população em apreço é heterogénea, não só porque abarca uma vasta gama etária, mas também porque cada idoso difere do outro em função de distintas experiências de vida. São bem conhecidos os programas educativos destinados aos seniores, que visam conjugar a aprendizagem ao longo da vida com atividades de lazer e que lhes propiciam também o convívio social de que tanto necessitam. Como nem todos os idosos frequentam Universidades de Terceira Idade ou instituições com fins idênticos, importa incentivar os restantes a que continuem participativos e disponíveis para olhar para o que os cerca com outra abertura. Sabendo dos benefícios que práticas que passem pelo oral e pela escrita podem ter na reserva cognitiva desta população, a pergunta que se deixa é: Que têm feito ou o que pensam fazer os profissionais que se especializaram em estudos ligados à língua e à linguagem em prol do bem-estar da população idosa? Os signatários deste Simpósio estão recetivos a todas as propostas que lhes cheguem, tendo sempre presente que o seu objetivo primeiro reside em conferir aos mais velhos, através da linguagem, a melhor qualidade de vida possível enquanto se encontrarem ativos, ou seja, em plena terceira idade.

Keywords: Terceira idade, Qualidade de vida do idoso, estudos de linguagem, cognição, impacto social


Minicurrículo:

MARIA JOÃO MARÇALO

Docente na Universidade de Évora desde 1987, é doutorada em Linguística e apresentou Provas de Agregação na mesma universidade em 2012. Fez um pós-doutoramento nos EUA, na Carnegie Mellon University em 2009. É diretora do Programa de Doutoramento em Linguística, na UÉvora. Desenvolve pesquisa em Teoria da Linguagem, Linguística Geral e Portuguesa, Português Língua Segunda, Estrangeira e Adicional. Entre os interesses de pesquisa mais recentes, conta-se a Linguagem nos Idosos.



MARIA DA GRAÇA LISBOA CASTRO PINTO

Professora Catedrática da FLUP (1991). Doutora em Linguística Aplicada (Psicolinguística e Neurolinguística) pela FLUP (1984). Prémio Gulbenkian de Ciência (1986). Colaborou (1977-1995), no Laboratório de Estudos da Linguagem, Serviço de Neurologia e Neurocirurgia do Hospital de S. João/FMUP, Porto, e (1979-1998) com Andrée Girolami-Boulinier, Professora de Ortofonia em Paris. Dirige a revista Linguarum Arena da UP, coordena o Programa de Estudos Universitários para Seniores da UP, que fundou em 2006.



RENATA BARBOSA VICENTE

Professora Adjunta da Universidade Federal Rural de Pernambuco. Mestre em Filologia e Língua Portuguesa (2009) e Doutora em Letras (2014), pela Universidade de São Paulo (USP). Tem experiência em pesquisas de letramento digital e tecnologia educacional, atualmente também desenvolve projetos de extensão com idosos, em face da preocupação com fatores psicossociais como perda de papel social, saúde em declínio, isolamento e redução do funcionamento cognitivo da terceira idade.